Se você já concluiu ou está concluindo o Ensino Superior e pensa em cursar uma pós-graduação, já deve ter ouvido as expressões Lato Sensu e Stricto Sensu. Apesar de terem nomes parecidos, os dois formatos têm caminhos e objetivos diferentes.

A pós-graduação foi formalizada em 1965 no Brasil, com o objetivo de formar professores universitários e fomentar a produção científica, além de preparar profissionais que atendam às necessidades e mudanças constantes do mercado.

Esses cursos se dividem em especialização, Master Business Administration (MBA), mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Lato Sensu

O termo Lato Sensu tem origem latina e quer dizer “sentido amplo”. Os cursos nesse formato de pós-graduação têm foco no ensino de conhecimentos para melhorar a atuação no mercado de trabalho. Especialização e MBAs são capacitações deste gênero.

Lato Sensu é um formato destinado aos profissionais com interesse em aprendizagem de conteúdos de forma mais objetiva e aplicada. Além disso, o enfoque está no aperfeiçoamento de temas específicos para a prática profissional.

Stricto Sensu

Também de origem latina, o termo Stricto Sensu significa “sentido específico”. Por isso, os cursos desse gênero correspondem à formação mais exploratória dos conhecimentos, bem como discuti-los de forma a contribuir para o avanço da ciência – o que requer maior investimento de tempo. Mestrado, doutorado e pós-doutorado são cursos  Stricto Sensu.

Antigamente, essas eram qualificações voltadas apenas para quem desejava desenvolver suas carreiras no meio acadêmico ou na produção de pesquisa e conteúdo científico para geração de conhecimento. Hoje, o cenário mudou.

O número de mestres e doutores em cargos da alta administração das corporações vem crescendo, principalmente dentro das organizações que exigem altos padrões e velocidade de inovação.

Na prática, o que muda?

As principais três diferenças entre os dois formatos de pós-graduação:

  • carga horária. Enquanto os cursos de Lato Sensu têm duração mínima de 360 horas, os de Stricto Sensu variam entre 18 e 42 meses.
  • A titulação dos docentes também distingue nestes diferentes níveis.
  • forma de comprovação de encerramento dos cursos. Especializações e MBAs garantem aos alunos certificado, sem obtenção de título universitário. Já quem optar pelo mestrado ou doutorado recebe grau acadêmico e diploma.

Existe um campo especifico para a Graduação e Pós-graduação no Linkedin seja ela Lato Sensu ou Stricto Sensu, ambos são inseridas no item “Formação acadêmica”.

Se você já tem cadastrado o seu currículo na plataforma Lattes pode inserir o link no seu perfil no Linkedin, neste link tem o passo a passo de como fazer.

O que é Currículo Lattes: A Plataforma Lattes é um sistema de currículos virtual criado e mantido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Criada primeiramente como uma forma de integrar dados de pesquisadores, a plataforma Lattes do CNPq é uma poderosa base de dados de currículos que une grupos de pesquisa e instituições, registrando a vida de acadêmicos de todo o país. Hoje, a utilização foi ampliada e, uma vez que a visualização é pública, o Lattes vem sendo usado comumente como um currículo profissional online.

Fonte/Referência: Site PUCRS | CNPq

 

Karla Apratto, Professora e Consultora de Carreira

O Mercado de trabalho mudou e não é de hoje que ter uma ótima Formação Acadêmica e Experiências incríveis não garantem um bom emprego ou uma promoção.

O que realmente importa é:

  • O que você sabe fazer?
  • Como você está mostrando suas habilidades no currículo e Linkedin?
  • O que você tem postado e comentado nas suas redes?

Estou falando da sua Imagem Profissional, a forma como você se mostra e se comunica são fundamentais para se destacar.

➡️ As pesquisas mostram que as empresas buscam a combinação de:

  • Soft skills, habilidades socioemocionais: habilidades “menos palpáveis”, relacionadas interação com outras pessoas, por isso, é mais difíceis de quantificar. Exemplo: empatia, inteligência emocional, etiqueta, resiliência, colaboração e comunicação.
  • Hard skills, habilidades técnicas que você pode aprender e são facilmente mensuráveis. Exemplo: habilidade de usar um software, a fluência em um idioma ou domínio de uma ferramenta.

O profissional precisa ser estratégico para mostrar que além de qualificado ele também tem as habilidades que a empresa está buscando.

Não é à toa que a CRIATIVIDADE aparece no topo da lista.

Com a Pandemia muitos processos digitais foram acelerados e as empresas estão buscando cada vez mais a migração para o digital, por isso, o setor tecnológico segue em alta.

2020 ainda reserva muitos desafios principalmente para os profissionais que buscam recolocação.

Por ser difícil descobrir quais são as habilidades mais importantes para as empresas e como o seu currículo pode se destacar em um processo seletivo o LinkedIn fez um mapeamento sobre as competências mais solicitadas no mercado de trabalho em 2020.

O LinkedIn usou dados de mais de 660 milhões de profissionais que fazem parte da rede social e cerca de 20 milhões de listas de empregos para medir as habilidades mais requisitadas neste ano.

Capacidade de lidar com a tecnologia blockchain está no topo da lista. É a primeira vez que esses profissionais ficam no topo da lista de habilidades profissionais do LinkedIn.

O Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) incluiu “especialistas em blockchain” em uma lista de profissões cuja importância aumentará nos próximos quatro anos.

➡️ 15 habilidades mais requisitadas em 2020

1. Gerenciamento de blockchain

2. Computação na nuvem: tecnologia que permite armazenar e gerenciar dados na internet

3. Raciocínio analítico: a capacidade de interpretar dados e descobrir ideias que ajudem a tomar decisões de negócios

4. Inteligência artificial: a combinação de algoritmos para máquinas desenvolverem capacidades semelhantes às do ser humano

5. Design UX: design com foco na experiência dos usuários do produto

6. Análise comercial

7. Marketing

8. Vendas

9. Computação científica

10. Produção de vídeo

Habilidades de “soft skills”:

1. Criatividade

2. Persuasão

3. Colaboração

4. Adaptabilidade

5. Inteligência Emocional

Referências/Fonte: Linkedin | Época Negócios | Economia UOU

Quer saber mais? Vem participar do Grupo: Descomplicando o LinkedIn, só clicar.

Karla Apratto, Professora e Consultora de Carreira

Você está buscando recolocação? Então, essa novidade é para você! ​#OpenToWork

O Linkedin está com uma super novidade para quem está em busca de recolocação!!!

Agora você pode adicionar a sua foto o selo #OpenToWork assim os recrutadores vão saber que você está em busca de um trabalho.

Como fazer:

  • Vá no item VAGAS
  • Editar preferências de vaga
  • Adicionar a moldura de foto

Irá aparecer 2 opções: Compartilhar com todos os membros do LinkedIn ou Compartilhar apenas com recrutadores

Qual a diferença?

1- Compartilhar com todos os membros do LinkedIn:  Adiciona a moldura de foto #OpenToWork ou seja, quando você optar por “compartilhar com todos os membros do LinkedIn”, a nova moldura #OpenToWork será aplicada.

Funciona da mesma forma que as fotos temporárias do perfil do Facebook. A nova moldura adiciona um círculo verde com ‘#OpenToWork’ no canto inferior esquerdo, por cima da foto do seu perfil. Conforme abaixo:

Quem verá: Profissionais da sua atual empresa, recrutadores e qualquer pessoa que tenha entrado no LinkedIn.

2- Compartilhar apenas com recrutadores, ou seja, apenas com profissionais que usam os produtos de recrutamento do LinkedIn

Mas…o Linkedin informa que: “Tomamos medidas para não exibir seu interesse por novas oportunidades a recrutadores da sua empresa atual, mas não podemos garantir privacidade total.”

Essa é a novidade do Linkedin! Se você busca recolocação, sua rede pode ajudar. Receba apoio da comunidade juntando-se a 3 milhões de usuários sinalizando que estão buscando emprego com a moldura #OpenToWork

Gostou da novidade? Borá espalhar a notícia e configurar o perfil 😉

 

Karla Aprato, Consultora de Carreira e Especialista em Linkedin

Primeiro você precisa saber que as vagas não estão em quarentena, apesar de muitas empresas terem congelado as novas contratações, outras mesmo em home office continuam contratando e fazendo a maior parte ou todo o processo de seleção e admissão de forma remota.

Porque usar o Linkedin para buscar uma vaga?
A rede Linkedin é a maior rede profissional do mundo, com mais de 600 milhões de usuários, em 200 países.

O Linkedin conta com mais de 600 milhões de usuários e 30 milhões de empresas, e está presente em mais de 200 países pelo mundo, segundo dados de 2019 fornecidos pelo próprio Linkedin os brasileiros são 14% mais ativos nessa plataforma do que os outros profissionais no mundo.

O Brasil é hoje o 4.º maior país em número de usuários e fica atrás somente dos EUA, Índia e China.

No Brasil são mais 40 milhões de usuários, o equivalente a mais ou menos 513 estádios do Maracanã. Só em São Paulo são mais de 10 milhões de profissionais conectados à rede.
Se esses números ainda não te convenceram a usar o Linkedin penso que os dados da pesquisa publicada pela Jobvite dizendo que 93% dos recrutadores buscam o perfil de seus possíveis candidatos no LinkedIn talvez te convença.

Segundo a pesquisa as redes mais utilizadas para buscar candidatos estão, em primeiro lugar, o LinkedIn com seus 93% e em segundo o Facebook com 66% de acessos e buscas. E no terceiro lugar da pesquisa está o Twitter com 54 por cento.

Como era antes: Há um tempo existia o app Linkedin Jobs, criado em 2014 era de uso exclusivo para buscar vagas. Na época era necessário baixar os 2 apps, Linkedin e Linkedin Jobs, mas desde maio de 2019 ambos estão integrados ao perfil e o app Linkedin Jobs deixou de existir, mas sua funcionalidade passou a seguir no item “Vagas” e também abaixo do seu Título profissional: “Tenho interesse em oportunidades de emprego”, e para quem é autônomo também tem disponível a opção “Prestação de serviço”. Essa mudança foi ótima e muito mais funcional.
Bom, resumindo o LinkedIn Job é uma ferramenta gratuita dentro do Linkedin que ajuda os profissionais que buscam uma promoção ou uma recolocação a encontrarem oportunidades e vagas de emprego.

Linkedin x Linkedin Jobs, qual a diferença?
Linkedin é seu perfil, seu currículo online e deve estar configurado de estratégica para aparecer nas buscas e para ter uma maior visibilidade.

Linkedin Jobs é uma ferramenta dentro Linkedin feita para buscar vagas, parceiros e clientes. Uma ferramenta não anula a outra, pelo contrário, elas se complementam. A diferença é que no Linkedin Jobs você insere informações sobre o tipo de vaga que você tem interesse.

Como funciona a busca de vagas: Usando o seu perfil do LinkedIn e com base na sua localização, competências e qualificações o LinkedIn te ajuda a encontrar vagas de acordo com o seu objetivo. Para que você tenha um melhor resultado o seu perfil deve ser estratégico também, de forma que se destaque e apresente suas competências e conhecimento.

Vantagens:
1- Se candidatar e acompanhar o andamento de sua candidatura de forma privada, pois não será exibido para sua rede a procura por vagas.
2- Receber notificações de vagas baseadas no seu histórico de pesquisas e escolha configurada de acordo com seu objetivo que pode ser feita no item “Vagas”, você também pode filtrar seus interesses por empresa, data do anúncio e relevância da vaga.
3- O LinkedIn permite configurar notificações para que você seja avisado sempre que surgir uma vaga de seu interesse e perfil (Alerta de vagas).

Passo a passo para buscar sua vaga:

1- Tenha claro seus objetivos: Por mais que o Linkedin seja bem intuitivo, muitas pessoas ficam inseguras na hora usá-lo para buscar uma oportunidade. Isso acontece por 3 motivos: falta conhecimento de alguns macetes do Linkedin, organização na hora de buscar uma oportunidade e clareza nos objetivos. Por isso, é tão importante saber identificar os seus objetivos. Vou te ajudar a ter mais segurança com algumas dicas que farão a diferença:
– Tenha em mente o nome das vagas/cargos que você tem interesse
– Quais as empresas você tem interesse de atuar?
– Pesquise e faça uma lista com os nomes dos cargos e empresas.

2- Configurações: Você deve configurar 2 itens no Linkedin

1- Fica logo abaixo do seu título profissional
Nesse item você insere o nome dos cargos, empresas, tipo de contrato e lugares que tem interesse de trabalhar

1.1 Se você é autônomo também tem a opção “Prestador de serviço” que você pode configurar de acordo com o seu objetivo

2. No item “Vagas”

Você pode buscar vagas usando filtros através de palavras-chave como: área de atuação, cargo, tipo de trabalho ( estágio, tempo integral, voluntariado entre outros) e sua região, e isso de forma sigilosa, ou seja, ninguém vê quando você se candidata ou pesquisa uma vaga. Legal, né?

2.1 Insira a cidade que tem interesse no campo “Pesquisar localidade e clique em Pesquisar”

2.2 Você será direcionado para a página de resultados de pesquisa com uma lista de anúncios de vagas baseadas no seu perfil no Linkedin e configurações de suas preferências de cargo e localidade.

2.3 Após aplicar todos os filtros de acordo com o seu objetivo você pode ativar e definir o Alerta de vagas

🚨Alertas de vaga no LinkedIn

Crie alertas no LinkedIn para se manter atualizado sobre as novas ofertas de emprego que correspondem às suas preferências.

Você pode escolher se deseja receber esses alertas diária ou semanalmente por e-mail, notificações em aplicativos ou ambos. Além disso, as ofertas também aparecerão em seu perfil em “Notificações”.

O LinkedIn oferece uma excelente ferramenta de Networking e de buscas de vagas. Se usado de forma estratégica você vai acelerar e muito processo de recolocação/promoção.

👥 Tenho um convite para você: Minha equipe e eu criamos um grupo no Linkedin para esclarecer dúvidas.

O grupo foi pensado para pessoas que gostam de se manter atualizadas e que já estão se preparando para enfrentar as mudanças no Mercado.

Se você é uma dessas pessoas vem participar do nosso grupo: Descomplicando o Linkedin! É gratuito, basta clicar

Abraço!

Karla Apratto, Consultora de Carreira, Especialista em Linkedin

Para facilitar um processo de seleção mais digital, o LinkedIn começou a testar uma nova ferramenta que vai agilizar o trabalho de recrutadores: uma apresentação antes da entrevista de emprego.

Ao se candidatar para uma vaga, o profissional pode ser convidado pelo RH para responder duas perguntas e pode optar por fazê-lo por vídeo ou por escrito.

Assim, os candidatos dão uma prévia do seu perfil para os recrutadores mais rápido, sem ter que esperar que todo o processo avance para uma nova fase, e podendo mostrar suas habilidades de comunicação e sociais.

Ainda na fase de testes, o recurso ainda não tem data prevista para lançamento no Brasil.
Quem tem perfil em inglês também terá acesso a outra novidade: um feedback de entrevistas por vídeo com ajuda de inteligência artificial.

A tecnologia, desenvolvida pela Microsoft, vai ajudar os profissionais a se preparar para a etapa em vídeo.
Basta submeter uma gravação sua para a ferramenta, que não fica visível para ninguém além do usuário, e a IA analisa sua linguagem instantaneamente, dando recomendações que podem ser úteis para quem procura emprego, como dicas para melhorar seu ritmo, reduzir palavras de preenchimento e evitar certas frases.

Fonte: Revista Exame

E aí? Me conta o que achou da novidade?

Karla Apratto, Consultora de Carreira, Especialista em Linkedin

 

Confira o passo a passo:

 

Karla Aprato, Consultora de Carreira e Especialista em Linkedin 

Como descrever esses itens no Linkedin de forma atrativa e estratégica Esses três itens geram muitas dúvidas. Então, para você não errar segue abaixo a descrição de cada um

1- Formação Acadêmica:

Devem constar os cursos superiores como:

1.1 Graduação

1.2 Pós-graduação, e aqui entram os como mais de 360 horas. – Doutorado – Mestrado – Especialização/MBA

1.3 Também entram os cursos Tecnólogos

2- Cursos: Nesse item entram os cursos de curta duração, como os cursos de extensão

3- Certificados: Comprova o registro do profissional para determinada área.

👉Exemplo: Registro CRA, OAB, Certificado de proficiência como o TOEFL, Certificações de qualidade ISO entre outros.

👉Dica extra:

– Não o é necessário inserir o número de horas/aula – Insira os cursos tem relação com o seu atual objetivo

Ficou com dúvida? Grupo Descomplicando o Linkedin: https://lnkd.in/eS-zJFU

 

Karla Aprato, Consultora de Carreira e Especialista em Linkedin

 

 

1.Não seja um caçador de conexões:

Disparar convites foi mania nos tempos de Orkut (ok, talvez alguns nem lembrem).

Se você é adepto dessa cultura de adicionar todo mundo ATENÇÃO, pois essa é uma concepção equivocada sobre o significado de networking e relacionamento profissional.

Adicione pessoas que tem relação com seu objetivo e área de atuação.

Muitas conexões não garantem indicações para um emprego/promoção ou clientes. Pelo contrário, isso pode revelar a sua falta de uma visão estratégica e foco.

No Linkedin a qualidade e interação na rede tem mais resultados do que o número de conexões.

2. Tenha foco

Definir uma estratégia é fundamental antes de sair por aí convidando “Deus e mundo” para sua rede. Você precisa adotar uma postura estratégica diante de cada futura conexão no LinkedIn.

Antes de enviar um convite pergunte-se:

  • Quais as razões para adicionar esse novo contato?
  • De que maneira essa relação também pode ser útil para o profissional do outro lado da rede?

3. Seja criativo, direto e objetivo

  • Não envie o convite padrão sugerido pelo Linkedin.
  • Crie uma mensagem personalizada para cada contato informando quem você é e quais seus objetivos em manter contato

Dica:

  • Se a pessoa do lado de lá é um headhunter que está à procura de um profissional com o seu perfil, mencione isso na mensagem e argumente, de maneira objetiva e clara, porque você é uma boa opção para a oportunidade em questão.
  • Se é um potencial cliente informe o que faz, mas apenas informe sem vender nada nesse primeiro contato.

Exemplo que uso:

Olá + nome correto da pessoa, cuide isso!

Parece bobagem, mas receber uma mensagem com o seu nome escrito errado não causa uma boa impressão!

Seja bem-vinda as minha conexões profissionais.

Sou Especialista em Linkedin e criadora do site Karreira.Com, consultoria online de Carreira e Negócios, com foco na elaboração de currículo e perfil no Linkedin de forma estratégica.

Se quiser saber quais são os principais pontos que podem ser otimizados de forma estratégica e que dê resultados solicite uma avaliação gratuita de seu perfil no Linkedin acessando nosso www.karreira.com

Atenciosamente,

Karla Apratto

Especialista em Linkedin

Veja que não vendi nada, apensas informei:

  • Quem eu sou
  • O que eu faço
  • Como eu faço

Dica extra: Não envie currículo ou arquivos se não forem solicitados. Lembre-se, que mesmo sendo online a etiqueta profissional deve permanecer.

Pessoalmente você não entrega seu currículo ou cartão de vista antes de uma conversa, não é mesmo? Isso vale para os contatos online também.

Borá aplicar logo essas estratégias?! 

Tenho um convite para você: Vem participar do nosso grupo: Descomplicando o Linkedin! É gratuito, basta clicar 

Abraço!

Karla Apratto, Consultora de Carreira, Especialista em Linkedin

LinkedIn Stories: um novo espaço para interação, conversas e informação, finalmente é lançado e no Brasil

Em 2018 a função já estava sendo testada nos EUA entre os estudantes universitários “Student Voices”.

E ontem, dia 14/05/2020 foi oficialmente lançando no Brasil, mas por que no Brasil?

Segundo Rafael Kato, editor chefe do LinkedIn na América Latina, o Brasil é o terceiro maior produtor de conteúdo em vídeo na plataforma e quarto país com maior número de usuários: São mais de 40 milhões.

Além disso, segundo dados da consultoria ComScore, os brasileiros passam 56% do tempo nas redes sociais assistindo vídeos.

São mais de 2 milhões de postagens, vídeos e artigos que passam pelo feed do LinkedIn por dia, gerando dezenas de milhões de compartilhamentos e curtidas.

Testar o LinkedIn Stories no Brasil também leva em conta a nossa mundialmente famosa criatividade.

Como funciona: O Stories do LinkedIn é muito parecido ao que acontece no Instagram e no Facebook: as publicações estarão disponíveis por 24 horas e poderão conter imagens ou vídeos, figurinhas e textos adicionais.

Privacidade: Será possível saber quem viu os stories, reportar irregularidades, apagar e salvar publicações. Você também pode alterar a visibilidade, conforme a foto abaixo.

Diferencial: A grande diferença é que as mensagens do LinkedIn poderão durar até 20 segundos, no Instagram, elas são de 15 segundos.

Como usar: Assim como nas demais redes sociais por enquanto, os Stories estão disponíveis apenas nas versões do LinkedIn para celulares, seja em iPhone ou Android.

Quem responder a um Stories, porém, terá uma mensagem enviada para a caixa de mensagens diretas do LinkedIn (o InMail) a partir daí, a conversa poderá acontecer também pelo computador.

A função Stories ainda não disponível para todos os perfis.

Passo a passo: Vídeo  

Legal, mas e as Linkedin page? LinkedIn Stories será mais um recurso para fazer engajamento com clientes, consumidores e funcionários. A novidade ainda não tem data para acontecer nas páginas empresariais, mas a rede afirma que o recurso estará disponível “nas próximas semanas”, somente os seguidores brasileiros das páginas poderão ver o conteúdo postados nos Stories.

O que publicar nos stories no LinkedIn? Stories é mais canal para o compartilhar dicas, informações e principalmente divulgar o seu serviço.

  • Você pode postar momentos relevantes do seu trabalho
  • O que você faz fora do trabalho, mas que tenha relação a sua área.
  • Fotos de eventos que participou
  • Depoimentos de cliente ou colegas
  • Para os Empreendedores, que tal postar os bastidores da empresa e do seu dia?

Nesse momento, os stories podem ser muito bem utilizados para melhorar e aumentar a sua visibilidade na rede, mesmo estando no home-office.

Lembrando sempre que o Linkedin é a rede para você construir relacionamento e fortalecer sua marca pessoal.

Dica: atenção as postagens! Para quem acha e reclama que o LinkedIn está se tornando Facebook ou Instagram, eu só tenho uma coisa a dizer: O foco da rede Linkedin segue sendo é profissional, mesmo com recursos parecidos ou iguais os das outras redes as publicações é necessário atenção a imagem profissional que você quer mostrar.

Caso tenha dúvida em relação a postar ou não deixo 3 dicas:

  • Pense se falaria pessoalmente no ambiente de trabalho determinada postagem
  • A postagem é útil e favorece a sua imagem profissional
  • Qual o objetivo em fazer essa publicação, o que você espera e de quem espera retorno? Ou seja, qual o público você quer atingir

A tecnologia ajuda nos unir no momento em que estamos distantes fisicamente uns dos outros, não deixe de fazer novos contatos e se aproximar dos contatos já existentes. Conversar é ainda mais essencial agora.

Fica o convite para usar o LinkedIn Stories para contar o que está acontecendo no seu trabalho: produtividade, empreendedorismo, carreiras, liderança, saúde, finanças, aprendizados, dicas…

Bom, eu vou daqui aprendendo mais sobre a ferramenta para compartilhar tudo que aprender com vocês.

O que acharam da novidade? Ansiosos para terem acesso?

Karla Apratto, Consultora de Carreira e Especialista em Linkedin

 

Os 4 PRINCIPAIS itens para encontrar e ser encontrado são: URL, Foto, Título profissional e Resumo (Sobre).

O que é? URL significa em inglês Uniform Resource Locator.

Tradução para o Linkedin: Um link personalizado com seu, e só seu endereço online de seu perfil profissional.

Onde usar? Você pode usar sua URL personalizada com seu nome na assinatura de e-mail e em cartões de visita.

Como deve ser: A URL deve constar o seu nome e sobrenome, sem hífen e acentos.

A URL não faz distinção entre letras maiúsculas e minúsculas. Isto significa que Karla Aprato, karlaaprato ou Karlaaprato vão apontar para o mesmo perfil: Exemplo: www.linkedin.com/in/karlaaprato

A VANTAGEM: Você pode usar sua URL personalizada na assinatura de e-mail e em cartões de visita. Fazendo isso você terá um link mais bonito e amigável, além de, AUMENTAR o fortalecimento de sua rede de contatos e sua MARCA PESSOAL.

A tática também aumenta a sua VISIBILIDADE no Google quando alguém faz uma busca há mais chances de o seu perfil no LinkedIn aparecer entre as PRIMEIRAS PÁGINAS.

Como ter uma URL personalizada?

 

1.    Clique no ícone  Eu na parte superior da página inicial do LinkedIn.

2.    Clique em Visualizar perfil.

3.    Clique em Editar perfil público e URL à direita da página.

4.    Em Editar sua URL personalizada à direita da página, clique no ícone  Editar ao lado da URL do seu perfil público.

Ela será um endereço semelhante a www.linkedin.com/in/seunome.

5.    Modifique o final da URL personalizada na caixa de texto.

6.    Clique em Salvar.

Modifique o final da URL personalizada na caixa de texto. Exemplo: www.linkedin.com/in/karlaaprato

Clique em Salvar. Pronto! Você terá uma URL personalizada.

Divulgue seu currículo online (perfil no Linkedin) usado sua URL personalizada.

 Karla Apratto, Consultora de Carreira

 

Quer saber se seu perfil está adequado ao atual mercado? Solicite uma avaliação gratuita via nosso site www.karreira.com